Buscar
  • Barbara Leite Liberato

Vamos desfraldar?

Deixar de usar fraldas é um marco no desenvolvimento das crianças que exige tempo e paciência por parte dos pais. É importante respeitar o tempo do seu filho e adotar alguns cuidados para realizar o processo de forma mais leve.



O crescimento e desenvolvimento das crianças passa por marcos que são usados pelos pediatras para avaliação da saúde dos pequenos. Além disso, servem de alerta como sinais de doenças, atrasos neuropsicomotores, comportamentais e sociais. Assim como os pediatras, os próprios pais são capazes de notar as mudanças de fases pelas quais as crianças passam.

Um marco que é vivenciado de forma intensa por toda a família é o desfralde. Você já parou para pensar quantas fraldas uma criança usa até o desfralde completo? Claro que este número varia de acordo com cada criança, mas em média até os 2 a 3 anos de idade serão utilizadas 4500 fraldas!!! E por mais que os pais estejam ansiosos pelo desfralde do seu filho, não adianta ter pressa. Assim como todos os marcos do desenvolvimento infantil ele depende de um amadurecimento biológico. Não há como esperar que a criança deixe de usar fraldas quando biologicamente não há o controle dos esfíncteres, ou seja, os músculos responsáveis por segurar e liberar a saída da urina e das fezes. Além disso, além da maturidade biológica, o desfraldar depende da maturidade neurológica, comportamental e social da criança.

Para além das questões biológicas, é importante entender que parar de usas fraldas depende de vários aspectos, como o reconhecimento do próprio corpo e da construção da independência. A partir dos 18 meses e mais pronunciadamente dos 2 anos, as crianças começam a entender suas dimensões e funções, bem como o ambiente que as cerca. O desfralde não acontece de repente, costuma sem um processo lento e pode demorar a se completar. Cada criança tem seu ritmo, e apressá-la pode gerar ansiedade desnecessária.

O desfralde é um processo que deve ser acolhido pela família, não cabe à escola essa tarefa. Não é um processo pedagógico. A escola pode e deve apoiar os pais. Mas são os pais que devem assumir o compromisso de tirar a fralda da criança – ressalta a Pediatra Mariane Cordeiro Alves Franco, presidente do Departamento Científico de Pediatria Ambulatorial da Sociedade Brasileira de Pediatra (SBP).

Mesmo que não haja idade certa para o desfralde, a criança começa a dar sinais de que já está apto a usar cuecas ou calcinhas.


MANIFESTAÇÕES FÍSICAS
É capaz de se sustentar de pé com firmeza, e já anda;
Já faz cocô em horários mais ou menos previstos, e faz movimentos que indicam que está evacuando, como abaixar ou ficar paradinho em um canto;
Cocô possui um formato mais ou menos sólido;
Faz uma grande quantidade de xixi de uma só vez e não de pouquinho em pouquinho;
Passa um intervalo de 3h a 4h seco: isso representa um treinamento do esfíncter e da bexiga para segurar a urina;

MANIFESTAÇÕES COGNITIVAS
É capaz de entender e obedece a simples comandos e instruções, como pegar determinados objetos;
Sabe ou pelo menos está aprendendo que determinadas ações e      comportamentos têm hora e local adequados para acontecer;
Já chama xixi e cocô por termos específicos que não precisam ser,      necessariamente, as duas palavras;
Já identifica que ir ao banheiro está atrelado a objetivos relacionados à higiene pessoal, como fazer xixi, cocô, lavar as mãos, escovar os dentes, tomar banho etc.
Compreende os sinais do próprio corpo quando está com vontade de ir ao banheiro e é capaz de pedir ou alertar os pais sobre isso, se mostrando      disposto(a) a controlar essa vontade quando preciso;

MANIFESTAÇÕES COMPORTAMENTAIS
É capaz de ficar sentadinho em uma só posição por um intervalo de 2 a 5 minutos.
É capaz de, mesmo com a ajuda e supervisão, abaixar e levantar a calcinha ou cueca e a calça;
Se sente claramente incomodado quando a fralda está molhada de xixi ou suja de cocô;
Se mostra curioso ou interessado em ver os pais ou cuidadores realizarem hábitos de higiene como fazer xixi, usar as roupas de baixo, lavar as mãos etc.
Fala ou mostra com pequenos atos que está com vontade de evacuar,  seja pela feição ou pelas ações, se abaixando, ficando num cantinho ou até mesmo falando;
Dá sinais e se mostra interessado em ser mais independente e está no processo de construir a própria autonomia;
Se orgulha e se mostra satisfeito com cada conquista mesmo que pequena;
Não se mostra resistente ao usar a privada ou o penico e até demonstra certo interesse ou curiosidade ao usá-los;

http://espacosaudegranjardim.com.br/


Para que a experiência seja positiva, a participação da família é fundamental. Caso a criança seja apressada para sair das fraldas ou se sinta prejudicada, lesada ou agredida, provavelmente o processo será muito mais demorado e o pior, assumirá contornos traumáticos. Se até os 4 ou 5 anos a criança não completar o processo vale consultar o pediatra para avaliar se não há uma disfunção no sistema urinário que esteja dificultando o desfralde, o que acontece em raríssimos casos. O segredo é ter persistência e paciência para lidar com os escapes.

Nunca recrimine a criança quando um xixi escapar ou se encontrá-la escondida atrás de um móvel fazendo cocô, o que acontece muito. Diga que desta vez não deu, mas que você vai ajudá-la a conseguir na próxima. Orienta a Pediatra Mariane Cordeiro Alves Franco, presidente do Departamento Científico de Pediatria Ambulatorial da Sociedade Brasileira de Pediatra (SBP).

Abaixo algumas dicas de Ouro:


1.Tenha o objeto adequado para seu filho fazer xixi, seja o penico ou um suporte para o vaso sanitário, ou ambos. Verifique se ele está sentando adequadamente e ofereça opções para que ele se sinta confortável e tranquilo na hora de fazer suas necessidades básicas. Ter um banquinho para que consigam subir até o vaso também é uma excelente opção.

2.Ofereça à criança cuecas ou calcinhas divertidas, estampadas e coloridas. E deixe que ela escolha qual irá querer usar. Além de ajudar na construção da autonomia, ela criará gosto por determinada peça e isso poderá ser uma boa forma para que ela deixe de lado as fraldas.

3.Desenvolva uma estratégia: geralmente os pais costumam tirar, primeiro, a fralda de dia e aos poucos vão tirando a do período noturno. Retirar completamente pode até apressar o processo, mas as escapadas também serão recorrentes. 

4.Quando o desfralde diurno estiver concluído, comece o noturno. Deve-se adotar uma rotina, como evitar dar líquidos antes de dormir (lembre-se que mamadeira é liquido) e levá-lo ao banheiro para que faça xixi e, pela manhã colocá-lo no vaso ou peniquinho para que faça cocô, visando educar o funcionamento do intestino. Se o seu pequeno permanecer por um período de 3 a 5 dias com a fralda sequinha de noite, tente tirá-la. Normalmente, o organismo das crianças demora bastante para conseguir segurar o xixi durante o sono profundo, então pode ser um processo demorado.

5. Evite vestir macacões, jardineiras, bodies e outras roupas difíceis de tirar. É importante que ele aprenda a se desvestir sozinho, e esse tipo de roupa é um empecilho.

6. Em hipótese alguma fique bravo caso escape xixi ou cocô na roupa. Isso certamente criará uma ansiedade desnecessária e poderá gerar traumas e barreiras que atrapalharão no processo.

7.Converse bastante com a criança durante o desfralde e torne o processo divertido. Vale cantar, ler livrinhos sobre o tema, explicando para onde vão as fezes e o xixi, o porquê deles existirem etc.

8.Evite fazer esse processo em momentos muito turbulentos da vida da família, como mudança de casa, de escolinha, chegada de um irmãozinho, morte de um parente, viagens, separação dos pais etc. É importante que seu filho se concentre nesse processo exclusivamente e todos esses acontecimentos podem prejudicar bastante e desviar o foco.

Agora, você precisará lidar com o recorrente: “Já terminei, pode vir me limpar!” vindo do banheiro.




REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


The Natural Toilet Training Alternative - “The Diaper-Free Baby”.

Projeto Mães Que Educam - “Como fazer o desfralde do seu filho”.

MIM – Clínica do Desenvolvimento - “Adeus às fraldas”.

Bahiense Educação Infantil - “Desfralde”.

https://www.danonenutricia.com.br

https://www.sbp.com.br



Sobre a autora:

Olá, é um prazer conhecer vocês que frequentam esse blog! Um lugar de escuta, de fala e principalmente de compartilhamento. Vejo aqui um espaço em que poderemos compartilhar muito mais do que os desafios das relações entre pais e filhos, mas principalmente as experiências e as motivações que encontramos no dia a dia de cada família. Sou médica, pediatra, e espero enriquecer esse espaço através de orientações e discussões norteadas pelo conhecimento médico.


Dra. Raquel Carvalho Leite

Médica formada na Universidade Federal de Minas Gerais. Pediatra pelo programa de Residência Médica do Hospital das Clínicas da UFMG. Titulada em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria. Especialização em Terapia Intensiva Pediátrica e Neonatal pelo Neocenter e Titulada em Terapia Intensiva Pediátrica pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira.

@quelcleite

e-mail rcl134@yahoo.com.br


37 visualizações

Posts recentes

Ver tudo