Buscar
  • Barbara Leite Liberato

VACINA CONTRA A GRIPE

A partir de 9 de Maio iniciou-se a Campanha do Ministério da Saúde de Vacinação contra a Gripe, para as crianças de 6 meses a 6 anos, grávidas, mães no pós parto, professores, entre outros. Entenda a importância e esclareça suas dúvidas.


Imagem Shutterstock


Estima-se que todos os anos a gripe causada pelo vírus influenza atinja de 5%-10% dos adultos e de 20%-30% das crianças em todo o mundo. A infecção pode acarretar hospitalização e morte, principalmente entre os grupos de maior risco. Acredita-se que todas as epidemias anuais de gripe sazonal resultem em aproximadamente 3 a 5 milhões de casos de doenças graves e na morte de cerca de 250 mil a 500 mil pessoas.

O que é a Gripe?

A gripe é uma infecção viral causada peço vírus Influenza. Existem vários tipos de vírus Influenza, classificados como A e B, cada um possui subtipo. Ex.: A (H1N1), A (H3N2).

Os vírus influenza A também infectam aves, cavalos, porcos, focas, baleias e estão sempre dando um jeito de se modificar, ainda que bem pouquinho, só para enganar os anticorpos — agentes responsáveis pela defesa do organismo. Quando o vírus influenza de um animal se “mistura” com de um humano, origina-se um novo tipo de vírus. Foi o que possibilitou a pandemia de “gripe suína”, causada pelo vírus A (H1N1).

Os sinais e sintomas mais comuns da gripe são:

· Febre

· Dor no corpo

· Dor de cabeça

· Sintomas respiratórios como tosse, congestão nasal, dor de garganta e dificuldade para respirar

· Perda de apetite

· Sibilância ( “chiado no peito”) – em crianças este é um sintoma muito frequente

A influenza, ou gripe, como é comumente chamada, é prevenível por vacina. Ela ocorre todos os anos e está entre as viroses mais frequentes em todo o mundo. Costuma causar complicações principalmente em crianças pequenas, idosos, gestantes e pessoas com comprometimento da saúde.

Como a Gripe é transmitida?


Aaaaatchim... Pronto! Lá se vão cerca de 40 mil gotículas de saliva no ar durante um simples espirro. Com elas seguem também os vírus da gripe. Dessa forma eles “viajam” por aí, se “acomodam” nas superfícies de objetos e passam de uma pessoa para outra quando atingem as mucosas de boca, nariz e olhos.


O período de transmissão da gripe começa 24 horas antes dos sintomas e dura de cinco a dez dias após o seu surgimento. Em crianças e pessoas com imunidade comprometida esse período dura até mais de dez dias.

Qual a diferença entre Gripe e Resfriado?

O resfriado pode ser causado por vários tipos de vírus que provocam sintomas semelhantes ao da gripe, porém, em gral, mais leves. Por isso é muito difícil o desenvolvimento de vacina contra resfriado, já que há vários tipos de vírus respiratórios que causam a doença. Já a gripe é causada por um vírus específico – o Influenza.

A Vacina contra a Gripe protege contra todos os tipos de Influenza?

Não. O vírus Influenza se divide em vários subtipos, que sofrem mutações constantes, sendo necessário atualizar a vacina a cada ano, para que seja eficiente. A imunidade após a vacina não é permanente, é de aproximadamente 1 ano. Vale lembrar que a Vacina contra a Gripe não protege contra o Coronavírus.

Atualmente, temos disponíveis no Brasil dois tipos de vacinas da gripe: a trivalente e a tetravalente. A composição dos subtipos de Influenza que estarão na vacina varia anualmente de acordo com a vigilância do vírus realizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

A Vacina Trivalente é composta pelos vírus Influenza AH1N1, AH3N2 e um tipo B, e é ofertada na rede pública. A Vacina Tetravalente contém além dos tipos descritos anteriormente um segundo tipo B, e só está disponível na rede particular.


Quem deve tomar a Vacina da Gripe?

Na campanha do Ministério da Saúde, o público alvo é a população de maior risco, o que inclui as crianças de 6 meses até cinco anos incompletos (4 anos, 11meses e 29 dias).


Por que uma pessoa que tomou a Vacina da Gripe pode ter gripe?

A vacina contra a gripe não é 100% eficaz. A eficácia depende de uma série de fatores, como se as cepas do vírus influenza que circularão no presente serão semelhantes àquelas definidas pela OMS como as mais prováveis e que estão contidas na vacina (as cepas são definidas em setembro do ano anterior). Outros fatores são a idade (em crianças e idosos a eficácia é menor), e situações de saúde que podem fazer com que a resposta imune não seja adequada.

A Vacina da Gripe pode causar eventos adversos?

Sim. Como qualquer vacina pode ocorrer dor no local da aplicação, inchaço, vermelhidão e pode ocorrer febre. A vacina não é capaz de causar a doença gripe, porque contém o vírus na sua forma inativada.

Quando postergar a Vacina da Gripe?

Deve-se evitar aplicar qualquer vacina em pessoas que estejam com febre ou alguma doença aguda (pneumonia, infecção gastrointestinal, ect.). Assim que houver a resolução do processo agudo, a vacina deve ser aplicada. Crianças que tiveram reação alérgica grave ao ovo devem consultar seu médico para a orientação.


Referências: Sociedade Brasileira de Imunizações – www.sbim.org.br

Sociedade Brasileira de Pediatria – www.sbp.com.br


Sobre a autora:

Olá, é um prazer conhecer vocês que frequentam esse blog! Um lugar de escuta, de fala e principalmente de compartilhamento. Vejo aqui um espaço em que poderemos compartilhar muito mais do que os desafios das relações entre pais e filhos, mas principalmente as experiências e as motivações que encontramos no dia a dia de cada família. Sou médica, pediatra, e espero enriquecer esse espaço através de orientações e discussões norteadas pelo conhecimento médico.

Dra. Raquel Carvalho Leite

Médica formada na Universidade Federal de Minas Gerais. Pediatra pelo programa de Residência Médica do Hospital das Clínicas da UFMG. Titulada em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria. Especialização em Terapia Intensiva Pediátrica e Neonatal pelo Neocenter e Titulada em Terapia Intensiva Pediátrica pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira.

@quelcleite

e-mail rcl134@yahoo.com.br

7 visualizações

Posts recentes

Ver tudo