Buscar
  • Barbara Leite Liberato

Redescubra o prazer de comer

Comer não é apenas uma questão de nutrir o corpo. Este ato, além de nos manter vivos e saudáveis, nutre também a nossa alma! Está ligado aos nossos afetos sociais, carrega a nossa identidade e legado familiar e diz muito sobre a nossa história cultural! Como transmitir com equilíbrio para nossos filhos? Redescobrir o prazer de comer pode ser um passo importante nesse sentido!


O modo de se alimentar vai além do ato de comer em si e se articula com outras dimensões: sociais, emocionais e com a identidade.

Nestes dois últimos anos, passamos por um tempo de pandemia que refletiu e ainda reflete na maneira como nos alimentamos. Hábitos, costumes e a relação com a comida sofreram modificações significativas.

A vida social teve que ser suspensa, a rotina diária foi modificada, perdas de entes queridos mexeu muito com as emoções e a própria identidade sofreu alterações.


Ouço relato de muitas mães contando como está difícil a sua relação com a comida e de como isso está influenciando no comer de toda a família. As cobranças de se manter saudável e não engordar ficou cada dia mais acentuada. As proibições de grupos de alimentos tiveram um aumento preocupante que culminou em transtornos alimentares e brigas com a comida. Um comer emocional devido à preocupação com tudo o que estava acontecendo, (filhos, familiares, amigos, etc) passou a ser mais frequente.

Comer como única opção para se ter prazer ou para controlar uma emoção, muitas vezes gera sentimento de culpa, e isso não faz bem. Cada pessoa tem um alimento de conforto emocional, isso faz parte da vida de todos. Porém, ele pode se tornar disfuncional, quando a frequência do seu consumo aumenta para lhe dar sensação de bem-estar e aconchego.

Alguns processos podem ajudar na busca pela mudança deste comportamento e a redescobrir o prazer de comer sem culpa e aos poucos refazer sua rotina:




Descobrir novas opções de lazer que te deixe feliz, (pintar, ler, escutar música, dançar, bordar...) e desviar a atenção pelo alimento que lhe de prazer; 
  
Fazer atividade física que você goste de praticar, que lhe traga alegria e diversão; 
    
Fazer as pazes com seu corpo e se libertar das comparações e das regras impostas; 

Fazer as pazes com a comida, não ficar se policiando e ou deixar que alguém faça isso; 

Encontrar satisfação em suas escolhas alimentares;

Comer com atenção plena e preservar a intuição inata de quando era criança (respeitar a sua fome e sentir a sua saciedade); 

Descobrir satisfação em tudo que se relaciona ao comer; (escolha dos alimentos, cardápio, cozinhar, ambiente e boas companhias); 

Lidar com suas emoções com gentileza e acolhimento;
 
Honre a sua saúde com uma nutrição gentil e amorosa. 


Este processo pode mudar não somente sua relação com a comida, pode mudar sua relação com a vida!


Fique bem e em paz com a comida, redescobrindo o prazer de comer!



Com afeto;


Fabricia Azevedo

Nutricionista

CRN 11.095 – 11ª REGIÃO

Obstetrícia, pediatria e adolescentes

Educação Alimentar e Nutricional




Clica aqui para assistir o conteúdo em formato de vídeo




Sobre a autora:

Fabricia Azevêdo é casada com Bruno Liberato, mãe de 3 filhos (Rafael, 14; João Vitor 10; e o terceiro filho está no céu). Uma mãe que mudou a sua vida para cuidar da saúde e alimentação dos filhos. Apaixonada pela vida e pela profissão.

Fabrícia Azevêdo

Nutricionista Materno Infantil - CRN-6: 27623/ CRN 11 – 11.095

Pós Graduada em Nutrição em Obstetrícia, pediatria e adolescente

Modulação Intestinal

Disciplina Positiva na Alimentação Infantil

Consultora em Aleitamento Materno

@fabriciaazevedo.nutri

12 visualizações

Posts recentes

Ver tudo