Buscar
  • Barbara Leite Liberato

Quando morre uma mãe...

Nenhum filho deveria crescer sem a presença, sem o olhar e sem o colo da sua mãe. No entanto, a vida é algo que definitivamente não está em nossas mãos.



Nadjara Nunes com sua mãe Irany Vale e suas filhas Maria Lis, 4 e Maria Letícia, 2



Eu queria conseguir falar sobre outra coisa. Mas hoje eu só consigo pensar na dor de um filho que perde uma mãe… Ele perde tantos momentos de cuidado, de zelo, de carinho, de amor … que não dá pra mensurar o valor dessa perda, que eu ouso dizer que é a maior da vida.


A vó também ama, o pai também ama, a madrinha também ama, os irmãos mais velhos também amam.

Mas não se compara ao amor de mãe.


O que uma mãe faz por um filho ninguém mais faz. E digo isso com sinceridade, porque vejo mães que ultrapassam todos os seus limites para poder oferecer o que elas consideram de melhor para os seus. E eu vejo isso diariamente. Vejo mães amamentarem com o peito ferido, sentindo muita dor, por acreditarem que o leite materno é o melhor para o seu bebê.


Vejo mães se privarem de sono todas as noites por estarem ali acolhendo e acalentando uma criança. Vejo mães abrindo mão de empregos, de “carteira assinada” pra cuidar dos filhos, ter mais tempo e poder acompanhar o crescimento deles.


Vejo mães desenvolvendo habilidades, dons e empreendendo, para poderem ser donas do seu tempo. Para conseguir tempo para levar e buscar na escola e ficar mais perto dos filhos.


Por outro lado, eu vejo mães que não fazem isso. Que de acordo com a sua realidade não conseguem fazer isso. Vejo mães que possuem dons que impactam a vida de milhões de pessoas diariamente, que empregam centenas de outras mães, homens e mulheres que levam o sustento para suas casas. E sim, elas também amam seus filhos incondicionalmente. Elas também fazem tudo o que podem pelos seus filhos, de acordo com sua realidade, com o tempo que lhe é oferecido e de acordo com suas limitações.


Mães que precisam trabalhar fora para garantir o alimento do filho. E que razão justa né?! Trabalhar, sustentar e abdicar de tanta coisa para oferecer o melhor para o filho. Isso é amor! Nem toda mãe tem a mesma realidade. Nem toda mãe consegue estar perto do filho o tempo todo.


E quando uma mãe morre… dói no coração de todas as outras. Aaahhh como dói! Porque a mãe, antes dela ser e ter qualquer outra função na vida e no mundo, primeiramente ela é MÃE!! E dói muito em todas pensar que aquele filho perdeu o amor incondicional, o amor de mãe. O coração fica pequenininho, apertadinho e cheio de angústia ao pensar que na lei natural da vida todo filho um dia vai passar por isso. E quando não é assim, vem a dor de uma mãe perder o filho, que também é devastador, doloroso e sofrido na vida de qualquer mãe.



Sobre a autora:

Nadjara Nunes é mãe da Maria Lis, 4 anos e da Maria Letícia, 2 anos. É esposa do Eduardo Liberato, apaixonada pela maternidade e pela fotografia.

Nadjara Nunes

Enfermeira Concursada

Especializando em Consultoria Materno Infantil com Enfoque em Amamentação

Fotógrafa Especializada em Partos e Recém-nascidos

Consultora Materno Infantil

@nadjaranunesfotografia @nadjaramaria

Espaço Materno Nadjara Nunes

Rua Rio Grande do Norte, número 748, Centro. Imperatriz-MA. (99) 98128-7620



40 visualizações

Posts recentes

Ver tudo