Buscar
  • Barbara Leite Liberato

Moda, Maternidade e Cor

Atualizado: 28 de Set de 2020

Como o autoconhecimento pode trazer um equilíbrio bem colorido para a maternidade.


O mês de setembro traz com ele a Primavera: cor, luz, vida! O autoconhecimento nada mais é do que o conhecimento de um indivíduo sobre ele mesmo. A prática do autoconhecimento faz com que as pessoas tenham um controle maior sobre as próprias emoções evitando inquietude, baixa autoestima e descontrole emocional. Ou seja, o equilíbrio anda de mãos dadas com o autoconhecimento.

A maternidade dá uma "sacudida" no equílibrio, por vezes o pêndulo cai mais para um lado, às vezes cai para o outro. Para voltar ao centro é importante se conhecer! Pensando nisso, o CheirodeMãe.com.br entrevistou Laynara Daher, consultora de Imagem e Estilo especialista em Coloração Pessoal. Ela relaciona a Moda e as Cores à maternidade trazendo leveza para a relação que desenvolvemos com nós mesmo ao longo do Maternar.

Cada mulher é dona de uma beleza única, assim como cada maternidade. Mães carregam com elas muitos paradoxos - na maternidada as sombras e a luz andam de mãos dadas. Então, que tal abrir a janela, respirar um ar puro de primavera, observar as flores desabrocharem e deixar as cores das estações colorirem a sua vida!

Amarelo, azul, verde, vermelho, cor-de-rosa, roxo, laranja, não importa qual é a sua cor. O que importa é se conhecer e reverberar na sua vida leveza e luz! Arrasta o preto e o branco para lá que a partir de agora a sua vida vai ficar mais colorida. Vamos Juntas?


Laynara Daher Costa


Mãe da Sofia, 2 anos, esposa do Sérgio, bacharel em Direito (2010/PUC-GO), porém a paixão por Moda e pessoas falou mais alto.

Ela já foi empresária no ramo de moda por mais de 10 anos, com experiência em vendas e mercado de luxo em Imperatriz - MA. Depois da Maternidade, fechou a loja “Laynara Daher” roupas e acessórios femininos e investiu em novos projetos.

É Consultora de Imagem e Estilo, especialista em Coloração Pessoal.

"Meu trabalho hoje é levar autoconhecimento, elevar a autoestima das pessoas e deixar a vida delas mais leve e colorida!"


Contato: (99) 991281708 - @laynaradaher.consultoria




Cheiro de Mãe: O que é Análise de Cor e como ela funciona?

Laynara Daher: A análise de Coloração Pessoal nada mais é do que um estudo da nossa natureza pessoal. Então a gente analisa as nossas características naturais – cor de cabelo, pele, olhos, sombrancelhas, boca – e replica isso de forma perfeita naquilo que a gente usa. Refletimos isso nos acessórios, numa maquiagem, nas roupas que usamos. Por exemplo: quanto mais clara a pessoa é, mais as tonalidades claras vão ficar bonitas nela. E não o contrário. Muitas vezes, por exemplo, o preto em pessoas muito claras pode destacar uma mancha na pele, traz uma sensação de que a pessoa está mais abatida.

O Círculo Cromático é composto por três cores que são consideradas primárias: vermelho, azul e amarelo – cores puras que dão origem a partir da mistura entre elas a outras cores. Azul com amarelo forma o verde, amarelo com vermelho forma o laranja, vermelho com o azul forma o roxo. Ainda tem as formações terciárias, por exemplo, o vermelho com o roxo que dá o rosa. Existem cores que precisam de outras para existirem e outras cores que são independentes. O Círculo Cromático existe para nos libertar, para nos dizer que qualquer cor que exista nele podem combinar entre si. São doze cores nele, no entanto, para cada cor existem milhões de tonalidades.

O subtom da pele, por sua vez, é composto de melanina, caroteno e hemoglobina – se você tem uma porcentagem maior na sua pele de caroteno, você é mais amarelada e se for hemoglobina o tom da pele é mais rosado. A melanina terá apenas a função de aumentar ou diminuir o contraste. Assim, quem tem mais hemoglobina é tom frio, mais caroteno é quente e tem as que a gente chama de “camaleão”, elas aparentam ser "quentes" e reagem melhor aos tecidos de cores frias. São pessoas olivas, por exemplo, são exceções, elas não se dão com as cores quentes, ficam melhor nos tons frios. O termo "camaleão" é por ser mais esverdeado e poder se camuflar e enganar algumas pessoas e consultoras. Portanto, é o subtom da sua pele que vai ditar a sua coloração.




Cheiro de Mãe: Como a coloração pessoal traz harmonia para a nossa vida?

Laynara Daher: A cor nada mais é do que luz. A luz bate e reflete a cor no objeto. Como é que a cor nos afeta? Todas as cores trazem um significado! Existe um livro que chama “A Psicologia das cores” da Eva Heller, maravilhoso que nos mostra que cada cor significa algo. As cores interferem nas nossas emoções e também na nossa razão.

Eu digo que não somos nós que escolhemos nossa a cartela, mas a cartela que determina quem a gente é. Não tem um “eu quero ser isso”. A cartela que vai dizer “você é isso”, ou “você é aquilo”. A Cartela dialoga com quem nós somos. Ela comunica.

Analisando a hemoglobina, o caroteno e a melanina descobre-se o subtom da pele. A partir daí procura-se com os tecidos, as cores que melhor irão harmonizar com a beleza natural da pessoa. Realçando esta beleza. Ao replicar o que se tem em cima no rosto, embaixo na roupa tem-se a harmonização. E quando isso acontece, a pessoa brilha de forma natural. Deixa a pessoa mais bonita do que ela já é. Cada uma na sua beleza.


Cheiro de Mãe: Fale um pouco sobre as cores quente e frias e como elas dialogam com as estações do ano.

Laynara Daher: As cores frias têm maior incidência de azul e as cores quentes possuem maior incidência de amarelo.

Suzanne Caygill, uma estilista californiana, que cria o método sazonal que consiste em analisar a beleza da mulher em relação às belezas naturais. Ela então nomeia os subtons da pele nas estações do ano. Então pessoas quentes são primavera ou outono. E as pessoas frias são verão ou inverno. Mas como o verão vai ser frio? Estamos falando de um verão que tem o céu limpo e azulado, escurece mais tarde em muitos lugares – logo ele é claro a maior parte do tempo. Então ela vai fazer uma análise de temperatura e intensidade (cores mais vivas X cores mais opacas). Quando a cor tem menos incidência de marrom e cinza, ela é mais viva. E o contrário faz com que a cor seja mais opaca. Sobre a profundidade, quanto mais a incidência de luz branca, a cor fica mais clara e quanto menos a incidência de luz mais preto e escuro fica.

Hoje vivenciamos o método sazonal expandido em que se subdivide as estações do ano que são quatro em doze estações. Três tipos de Inverno, de verão, de outono e de primavera. É como se o Teste de Coloração Pessoal nos desse um nome e um sobrenome. O mais importante no teste é respeitar o contraste natural.

Quando a gente fala de estação e imaginamos o inverno, a gente pensa em neve no chão e galhos secos (preto e branco). Alto Contraste. A primavera já é clara, onde o amarelo predomina e o rosa seco. A gente associa o ruivo à primavera porque a pele de uma pessoa ruiva é quente, mas não se pode generalizar. Elas também podem ser outono, apenas o teste que vai nos dizer e confirmar 100%. As mulheres de outono costumam ser mulheres de pele e cabelo não tão claros. Já o verão é claro, céu azul e mar azulado.

Por que a gente estuda o contraste? Porque além dele ficar mais harmônico, é ele que vai harmonizar as estampas na nossa cartela de cores.

Podemos usar o que a gente quiser, a nossa cartela não é limitadora, pelo contrário, é libertadora. Porém, por vezes a gente precisa adequar o nosso contrataste nas cores, à nosso favor. Logo, uma maquiagem, uma tonalidade de batom pode fazer esse efeito de contraste nos tons que estamos usando na roupa.




Cheiro de Mãe: A coloração modifica ao longo da vida, com a idade, por exemplo?

Laynara Daher: Não. Ela não muda. Nascemos com características únicas. Isso se chama beleza natural. É a nossa genética. A coloração pessoal, portanto, vai analisar a face para diagnosticar o subtom da pele.

O que muda ao longo do tempo é o tom do cabelo. Uma hora os cabelos brancos vão aparecer. Logo vai influenciar no contraste da pessoa. Aí quando eu for mexer nas cores preciso prestar atenção nas estampas. AS cores não vão mudar na sua cartela, o que vai mudar é o como você vai replicá-las nas estampas, nos acessórios e na maquiagem. Mas o fato de tomar sol e ficar bronzeada jamais vai interferir na sua cartela porque o caroteno e a hemoglobina não vão ser alterados, apenas a melanina.


Cheiro de Mãe: O uso das cores não estão desprovidas de sentimentos, pelo contrário, muitos estudos apontam que as cores influenciam de maneira psicológica. Você acredita nisso? Como que as cores influenciam no nosso humor e nas nossas emoções? É possível uma pessoa ficar com o humor alterado, meio para baixo e o uso de cores específicas contribuir de forma positiva alterando esse sentimento?

Laynara Daher: Eu acredito que as cores influenciam de maneira psicológica sim. Elas influenciam no nosso humor e na nossa vida. Quando a gente acorda com um humor alterado para negativo a gente não consegue colocar cores vibrantes, vamos procurar por uma roupa mais neutra. O preto, considerado a cor do luto, por exemplo, não é à toa. Ele é ausência de cor. Preto é menos alegre quando comparado às cores vivas, que são mais coloridas. Por outro lado, o preto também tem o lado positivo – de sofisticação, formalidade, elegância. O Vermelho é uma cor que acelera o nosso fluxo sanguíneo. Ex: No Parque do Inhotim na região metropolitana de Belo Horizonte – MG, existe um quarto de um artista Plástico, Cildo Meireles que é todo vermelho. Tem pessoas que não conseguem ficar mais que 5 segundos lá dentro. Algumas têm até taquicardia. Por outro lado, pessoas ficam 20 minutos lá dentro, entram em êxtase. Isso é relativo de pessoa para pessoa. Vermelho é a cor da paixão, mas é a cor do ódio também.

O laranja, o amarelo e o vermelho são muito utilizados na indústria do fast food. O laranja traz desejo, o vermelho aumenta os batimentos cardíacos. As três cores juntas dizem “eu preciso comer isso”.

Percebe-se, portanto, que as cores têm grande influência nas nossas emoções e no nosso comportamento.


Cheiro de Mãe: Cor também é forma de comunicação, certo? As cores passam mensagens. Como as cores estão ligadas ao modo como as pessoas nos percebem? Como as cores favorecem ou não a leitura que as pessoas fazem de você?

Laynara Daher: Sim. As cores comunicam quem nós somos. Um monocromático, por exemplo, traz leveza e elegância. Logo, o monocromático vai alongar alongar a silhueta e afinar. As cores sempre passam uma mensagem. Resta saber qual a mensagem a pessoa quer passar. Ela quer se esconder? Quer chamar a atenção? Existe a cor conveniente para tudo! E as outras pessoas vão nos perceber de acordo com a imagem que passamos para elas. Aquela frase: "A primeira impressão é a que fica", cabe nessa leitura que as pessoas fazem de nós.


Cheiro de Mãe: E o que as cores dizem sobre nós mesmos? Existe uma validação de identidade das cores? Você diria que as cores é um jeito individual de expressar a nossa própria verdade? Por que?

Laynara Daher: Com certeza. E a Consultoria de Imagem e de Coloração Pessoal existe para isso. São 12 cartelas com grupos de cores variados e infinitas mulheres. Por exemplo, duas pessoas podem usar a mesma cartela, mas com características completamente diferentes. Cada pessoa tem a sua particularidade e isso influência no jeito de vestir. As cores gritam quem você é.


Cheiro de Mãe: Se a imagem é comunicação, como as cores influenciam na sua imagem pessoal? E a sua marca, quando a pessoa, por exemplo, é a sua própria marca e vice-versa?

Laynara Daher: Seria a mesma coisa de dizer que a Coca-Cola é azul e que a Tiffany é vermelha. Dá para ver que tem algo errado, destoando. Porque já estamos habituados a relacionar aquela marca àquela cor. Se de uma hora para outra a Coca-Cola muda de cor, vai ser chocante para todo mundo. A Channel é o clássico Preto e Branco, a Dior é o cinza porque a essência da pessoa passou para a marca dela. Se a sua marca leva o seu nome, nada mais justo que leve com ela as suas cores, a sua essência. A gente se veste daquilo que a gente é. Isso é muito particular e próprio de cada pessoa.


Cheiro de Mãe: Como você relaciona Moda, Maternidade e Cores?

Laynara Daher: A Maternidade impacta a vida da gente. É comum no puerpério as mães abaixarem a autoestima. Isso é normal. Nossas prioridades são outras depois da maternidade. O que a Coloração Pessoal pode influenciar nesse momento?

Na minha maternidade, no meu puerpério, eu fiquei muito sensível, mais chorosa e pensava que eu nunca mais seria a mesma. E hoje, dois anos depois, eu olho para trás e para o meu hoje e vejo o quanto somos feitos de momentos, e está tudo bem. Outra Maturidade, outra cabeça, outros projetos. Hoje eu me vejo no lugar que eu deveria estar, um lugar de autoajuda para as mulheres. Ajudar cada mulher a se reconectar com ela mesma. E usar o que elas têm a favor delas. Isso é autoconhecimento. É isso que eu passo para as minhas clientes. Isso que eu passo para as mães que eu atendo. “Calma: tudo no tempo certo! Quando o seu tempo chegar, você vai sentir necessidade de se arrumar denovo, de sair colorindo o seu próprio mundo”!


Cheiro de Mãe: Aprofundar o conhecimento sobre nós mesmos é antes de tudo libertador. De que forma o teste de Coloração Pessoal abre caminho para o autoconhecimento?

Laynara Daher: Porque ela traz equilíbrio e harmonia. A gente pode tudo! Desde que seja de forma equilibrada. O conhecimento é libertador. Quando a gente se conhece, somos livres!


Cheiro de Mãe: Como as cores podem empodeirar uma mulher? Como as cores dialogam com a autoestima, segurança e confiança no vestir? Qual o superpoder da análise de cor, nesse sentido?

Laynara Daher: A análise de cor traz conhecimento sobre nós mesmos, logo tira as inseguranças, permitindo que a pessoa use o que quiser. Liberta as pessoas do julgamento de terceiros. Se eu me conheço, me torno mais segura e consequentemente minha e autoestima fica mais elevada, com certeza!



Cheiro de Mãe: E como fica o preto nessa história? A cor queridinha das mulheres perde espaço? Como usar o preto, afinal de contas?

Laynara Daher: Por ser ausência de cor, o preto, na minha opinião é um "buraco negro". Não tem cor nenhuma. Não é que o preto dá com tudo, ele é uma cor considerada chique. É uma cor empodeirada, que é sofisticada, traz um pouco de elegância. O preto vai anular aquela parte que ele está cobrindo, então a cor que você usar com ele vai destacar. Então de certa forma o preto perde espaço sim para aquelas pessoas que estão dispostas a investir nas cores.


Cheiro de Mãe: E o Monocromático, o que falar dele? Exige mais ou menos criatividade? Ele transmite monotonia ou não?

Laynara Daher: O monocromático é a combinação de cores mais fácil que existe. É uma combinação de cores elegantérrima. Além dele alongar a silhueta da mulher usando tons próximos, ele também dá um ar sofisticado. Não cai na monotonia de jeito nenhum, a nãos ser que seja todo preto.

Cheiro de Mãe: Para além dos resultados estéticos, você diria que a análise cromática reflete um consumo mais consciente economicamente? Justifique.

Laynara Daher: Sim. Porque é tão libertador que a pessoa se sente mais segura e mais à vontade de usar aquilo que ela tem no guarda-roupa e mesclar com acessórios e maquiagem que podem contribuir nas combinações de cores, sem contar que eleva a autoestima. E na hora de comprar, você compra com consciência daquilo que precisa para complementar o que você já tem com certeza de que a sua compra vai cair bem em você, vai ser bem usada. Evita gastos supérfluos, principalmente de coisas que você não vai usar porque não vai ficar bem em você.







Sobre a autora:

Bárbara Leite Liberato é casada com Fernando Liberato, mãe de duas crianças extraordinárias João Paulo, 6 anos e Gabriel, 3 anos. A vida toda quis ser mãe e formar uma família, casou com o grande amor da adolescência e juntos educam os filhos dentro da Parentalidade Positiva. Tem como missão de vida capacitar pais e mães para utilizarem as ferramentas da Disicplina Positiva e da Parentalidade Positiva junto aos filhos. Ler e escrever é uma paixão na vida.




Bárbara Leite Liberato

Educadora Parental em Disciplina Positiva

Membro da PDA / Brasil

Jornalista e Advogada

Certificada em Parentalidade Positiva pela Escola de Parentalidade e Educação Positivas de Portugal

Especializando em Neurociência e Comportamento - PUC/RS

Idealizadora e Editora do blog cheirodemae.com.br

(99) 981326509 - barbaraleiteliberato@hotmail.com

@barbaraleiteliberato


24 visualizações

Posts recentes

Ver tudo