Buscar
  • Barbara Leite Liberato

Maternar com leveza

A Parentalidade é sobre nós, pais e educadores. Por mais desafiante que seja, educar passa pelo processo de caminhar com leveza e entusiasmo enquanto a vida segue a acontecer dentro e fora de casa. Não vai ser leve como uma pluma, mas não precisar ser tão pesado a ponto de se tornar um fardo difícil de carregar.


Maternar com leveza foi algo que eu sempre procurei desde o dia em que me descobri mãe. Eu procurei pela leveza como quem procura por um tesouro perdido no fundo do mar. A cada dia da maternidade, a cada desafio que chegava eu ficava mais distante de encontrá-la. Algumas vezes eu cheguei a pensar que essa tal da leveza sequer existia, ou se existisse era para poucas. Talvez para aquelas que tivessem a própria mãe por perto para ajudar, ou que terceirizavam o maternar porque precisavam voltar logo para o trabalho, ou quem sabe talvez ele fazia parte do DNA, vinha de fábrica, sei lá. O fato é que eu não o tinha e por causa desse peso eu comecei a afundar.


Mergulhei em águas muito profundas até a encontrar. Chorei, gritei, me culpei. Culpei as crianças, culpei o marido, culpei a sogra, culpei a minha mãe. A culpa era de todos porque eu não sabia mais o que fazer. Foi então que subi na superfície e respirei. Se essa tal leveza existe, em busca dela eu irei. Eu abracei o caos que eu mesma instalei, me curei. E entre devorar livros e pessoas, voltei. Algumas vezes, com ela me esbarrei. Foi então que eu percebi que o tempo todo ela estava ali. Fui eu que ao invés de simplificar, optei por complicar.


Repara bem, está lá para todo mundo ver. Nos diz o Aurélio que leveza nada mais é do que “qualidade do que é leve” e uma coisa só pode ser leve se ela for pouco pesada. Repare denovo: POUCO pesada. Isso não quer dizer que a maternidade vai ser só sorrisos, vestidos esvoaçantes na beira-mar. Ela vai ser isso também.


Vai ter desafios e vai ter gargalhadas. Vai ter aprendizados dolorosos e também meio óbvios. Vai ter pular ondinhas e vamos também ser engolidos por ondas grandes. Entende? A leveza não é a ausência de peso. Ela está mais para o como a gente vai conseguir carregar esse peso.


O Aurélio continua. Ele nos diz que no sentido figurado, a leveza é “caráter do que é singelo, delicado” e arremata contando que leveza é um substantivo feminino. Ah, tinha que ser né. A leveza é muito nossa que somos mulheres, que somos mães. De certa forma ela vem mesmo no nosso DNA, mas aos poucos crescemos e vamos deixando que ela desapareça. Talvez para sobreviver nesse mundo tão masculino, seja uma defesa deixar a nossa leveza ir.


Eis que a maternidade nos força a buscá-la de volta. Ela está lá batendo na porta, basta abrir. A gente traz tanto enfeite, luxo e ornamento para a maternidade que esquecemos que a única coisa que precisamos para maternar é daquilo que é singelo, simples. A natureza se encarrega de quase tudo, mas nós teimamos em complicar. Para cuidar de algo tão delicado quanto um ser humano, a mãe precisa investir na delicadeza, na sensibilidade, na afetividade. Não fazer das questões que vão aos poucos aparecendo, um grande problema.


E então descobrir o grande segredo: a leveza anda junto com o entusiasmo. É ele quem vai trazer fervor e impulso para seguir em frente no meio dos desafios. Juntos eles proporcionam o prazer. Maternar precisa ser prazeroso, e para isso ela não precisa ser leve como uma pluma. Ela pode ser leve como uma bola. Ela não precisa ser isenta de conflitos. Ela precisa de ter desafios. Ela não precisa ser perfeita. Ela precisa ser rasgada e costurada. Se assim o fosse, não haveria o que aprender, o que transformar, o que viver.


Olá leveza, puxe uma cadeira e sente. Seja bem-vinda de volta ao lar. Agora que eu te reencontrei, aqui bem perto de mim você vai morar.



Sobre a autora:

Bárbara Leite Liberato é casada com Fernando Liberato, mãe de duas crianças extraordinárias João Paulo, 6 anos e Gabriel, 3 anos. A vida toda quis ser mãe e formar uma família, casou com o grande amor da adolescência e juntos educam os filhos dentro da Parentalidade Positiva. Tem como missão de vida capacitar pais e mães para utilizarem as ferramentas da Disicplina Positiva e da Parentalidade Positiva junto aos filhos. Ler e escrever é uma paixão na vida.





Bárbara Leite Liberato

Educadora Parental em Disciplina Positiva

Membro da PDA / Brasil

Jornalista e Advogada

Certificada em Parentalidade Positiva pela Escola de Parentalidade e Educação Positivas de Portugal

Especializando em Neurociência e Comportamento - PUC/RS

Idealizadora e Editora do blog cheirodemae.com.br

(99) 981326509 - barbaraleiteliberato@hotmail.com

@barbaraleiteliberato



30 visualizações

Posts recentes

Ver tudo