Buscar
  • Barbara Leite Liberato

Madrastas: Feliz dia das Mães!


Elas estão cada vez mais presente nas famílias e são capazes de dar a vida delas por filhos que não saíram de suas barrigas, mas que mesmo assim fazem morada em seus corações. Por que odiá-las se o que elas tem a oferecer é amor?


Espelho, espelho meu! Existe alguém mais bela do que eu?

Está nos contos de fadas, e essa relação não é uma mar de rosas nos livros infantis! Será por isso que a Madrasta é impedida de ser amada pelas crianças?

Mas quem foi que disse que ela é tão malévola?

O dicionário não colabora:


Significado de Madrasta
substantivo feminino
Aquela que não é a mãe biológica do ou dos filhos de seu cônjuge.
[Pejorativo] Indivíduo sem sentimentos afetuosos, sendo capaz de ações maldosas (esta acepção é usada com sentido ofensivo).
[Por Extensão] O que resulta de humilhação; que não provém da bondade nem do carinho: a vida será a madrasta dos preguiçosos.
Etimologia (origem da palavra madrasta). A palavra madrasta deriva da forma popular do latim "matrastra", que significa "mulher do pai", por alusão à "mater,tris", "mãe".

Parece mentira né! Mas não é! Absurdo? Talvez mais para uns do que para outros. Porque a verdade é que as crenças culturais e familiares que carregamos no nosso DNA são muito fortes! Tão forte que são capazes de se tornar uma verdade, de moldar comportamentos para bem e para o mal.

Dentre muitas madrastas maravilhosas que militam nas redes sociais está a Mariana Carmadelli da @somosmadrastas que vem há algum tempo desconstruindo essa estigma da madrasta má. Uma frase dela que já virou um jargão na internet é "Madrasta não é palavrão", apesar da nossa cultura dizer o contrário e o dicionário reafirmar essa questão.

Mas o que eu queria trazer para o centro das reflexões nesse mês das mães é: o quão você que é mãe acredita nisso? E mais, o quão você contribui para que seu filho ame ou odeie a madrasta dele?


É insano a gente falar de dia das mães e não incluir as madrastas nessa celebração!

Primeiro porque para muitas crianças, a madrasta é a única mãe que ela conhece! E o amor dela é o único amor materno que ela já experimentou!

E segundo porque o divórcio cresceu no Brasil em 24% em 2021, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Direito de Família (IBDFAM). Ou seja, todos os dias pais se divorciam, formam novas famílias e as crianças ganham de presente irmãos, padrastos e madrastas! E por que essa relação precisa ser negativa e conflituosa?

Tornar o nome Madrasta um pejorativo é coisa de adulto! Crianças não pensam assim, são ensinadas a fazer essas analogias! E desconstruir é mais trabalhoso do que construir!


Estava eu na apresentação da escola no dia das mães e lá do palco uma criança olhava com afeto para uma mulher que estava sentada na minha frente segurando um bebê de colo! Aquele olhar me chamou atenção! Quem estava naquele lugar de mãe era ela: a madrasta! Ela se emocionou, jogou beijos e chorou quando ouviu a canção que o enteado dela estava a cantar! E ele carinhosamente deu nela um abraço no final da apresentação e um beijo doce na cabecinha daquele novo irmão!
Por que os adultos complicam tanto?

A crianças não precisam carregar para as relações delas as nossas inseguranças, nossos medos, nossas angústias e nossos incômodos de mãe! Vale a pena ser apoio para filhos e madrastas nesse processo porque no fritar dos ovos a família toda tem a ganhar! Uma coisa é a relação amorosa entre o casal e outra coisa é a relação de pai e mãe com os filhos! As dores do adulto são do adulto e fazer a criança carregar isso é um fardo muito grande!

Mães: Não existe ninguém nesse mundo mais bela do que você para os seus filhos! Mas isso não quer dizer que ele não possa amar outras pessoas, inclusive a madrasta! Uma madrasta tem muita coisa boa a oferecer, pode ser ponte, pode ser afeto, pode ser parceira, pode ser apoio, pode ser amiga, pode ser o que ela quiser, mas sem o apoio da mãe é um tanto complicado chegar lá!

Não sou madrasta e nem meus filhos tem uma para chamarem de sua! Mas o meu único desejo é que caso a minha vida dê algumas voltas e essa figura tenha que fazer parte da vida dos meus filhos, que essa relação possa ser doce, segura e cheia de afetos! Porque não desejo nada menos do que pessoas capazes de dar amor aos meus filhos por onde quer que eles forem!


Então, Feliz dias das Mães, Madrastas!


Com Carinho, Bárbara Liberato





Sobre a autora:

Bárbara Leite Liberato é casada com Fernando Liberato, mãe de duas crianças extraordinárias João Paulo, 8 anos e Gabriel, 4 anos. A vida toda quis ser mãe e formar uma família, casou com o grande amor da adolescência e juntos educam os filhos dentro da Parentalidade Positiva. Tem como missão de vida capacitar pais e mães para utilizarem as ferramentas da Parentalidade Positiva junto aos filhos. Ler e escrever é uma paixão na vida.







Bárbara Leite Liberato

Orientadora Parental

Jornalista e Advogada

Certificada em Parentalidade Positiva pela Escola de Parentalidade e Educação Positivas de Portugal em PEP e OAP

Especializando em Neurociência e Comportamento - PUC/RS

Idealizadora e Editora do blog cheirodemae.com.br

(99) 981326509 - barbaraleiteliberato@hotmail.com

@barbaraleiteliberato






4 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

O Sol