Buscar
  • Barbara Leite Liberato

Mãe, Mulher e Líder

Mulheres nasceram para liderar. Mães, todas elas, são líderes - elas gerenciam vidas, lideram pessoas, simples assim. Por isso, nesse mês de março vamos contar histórias de mulheres incríveis que com resiliência, criatividade e muito amor equilibram todos os dias o papel de serem mães, mulheres e líderes. Vem com o cheirodemae.com.br se transformar com relatos de pessoas que são gente como a gente.



Essa semana o Cheiro de Mãe convidou a Nádia para compartilhar conosco esse tema: "Ser mãe, mulher e líder". Ela de forma generosa escreveu esse texto capaz de inspirar e emocionar cada uma de nós.

Sou Nádia Marcelina de Souza, mulher, esposa, mãe, assistente social e entusiasta da educação financeira. Casada com Deusdédite, mãe do Daniel (9 anos) e do André (7 anos). Sou mineira, mas há mais de 13 anos residindo no Maranhão, estado que me acolheu e onde já me sinto em casa. Formei em Serviço Social aos 21 anos, casei aos 22, me tornei mãe aos 26 e em cada um desses momentos de conquistas vibrantes, me vi diante de grandes desafios, que exigiram dedicação e doação para fazer o meu melhor, mas nem sempre é o que acontece.



O processo de construção pessoal, maternal e familiar é feito de erros e acertos, procuro sempre ser resiliente comigo para conseguir desempenhar cada papel da melhor forma; os erros são parte do processo da vida de todos nós e comigo não é diferente. Inúmeras são as formas como cada um de nós escolhe enfrentar cada uma dessas situações.

O crescimento, as mudanças, geralmente vem através de desconforto, de esforços e esses processos são necessários na nossa vida para alcançarmos nossa melhor versão, em todas as áreas: como mulher, como mãe e como profissional.

Infelizmente, não consigo me dedicar 100% em cada uma das minhas atribuições. Em cada época, uma área demanda mais tempo, e assim vou me ajustando e cuidando dos meus e de mim.


Nádia Souza com o marido Deusdédite e os filhos Daniel e André


A dinâmica familiar é uma construção diária. No casamento, precisamos ter paciência, cuidado e amor para superar as diferenças e manter a união. É importante conciliar com tudo isso, a maternidade e a educação dos filhos.

É um desafio constante, porque cada filho tem um temperamento e nós pais temos bases de educação diferentes, mas sempre buscamos o equilíbrio para oferecer o nosso melhor na criação dos meninos. Com necessidades distintas, todo dia é de aprendizado, alguns dias são mais fáceis e outros nem tanto.

Profissionalmente, atuo há 8 anos, como analista de seguro social no INSS, vivendo situações das mais diversas naturezas e muitas histórias de dificuldade. Isso requer uma estrutura emocional forte, para dar sempre o meu melhor como profissional.

Busco ainda me dedicar à prática de exercícios físicos regulares, focando em qualidade de vida no longo prazo. Dedico meu tempo também aos estudos sobre investimentos e finanças pessoais – temática que ganhou o meu coração nesses últimos anos.

Sempre busco exercer cada um dos meus papéis da melhor forma. Assim vou me descobrindo e me construindo como uma mulher capaz de exercer vários papéis.



" Desromantizar é entender que mãe perfeita não está mais usando. O que a gente quer é melhorar, aprender, aperfeiçoar. Ser perfectível. Desejo a nós dias possíveis. Sendo eles bons ou ruins, nós já vencemos. Pela sorte de não estarmos sozinhas. E pelo privilégio de estarmos vivas."


Roberta Ferec no livro Mãe Perfeita não tá mais se usando, 2020


103 visualizações

Posts recentes

Ver tudo