Buscar
  • Barbara Leite Liberato

Mãe, Mulher e Líder

Mulheres nasceram para liderar. Mães, todas elas, são líderes - elas gerenciam vidas, lideram pessoas, simples assim. Por isso, nesse mês de março vamos contar histórias de mulheres incríveis que com resiliência, criatividade e muito amor equilibram todos os dias o papel de serem mães, mulheres e líderes. Vem com o cheirodemae.com.br se transformar com relatos de pessoas que são gente como a gente.



Essa semana o Cheiro de Mãe convidou a Pollyanna para compartilhar conosco esse tema: "Ser amãe, mulher e líder". Ela de forma generosa escreveu esse texto capaz de inspirar e emocionar cada uma de nós.




Sou Pollyanna Mota Sá Kamada, casada há 12 anos com André Takumi, temos dois filhos Pedro Kazuo (11 anos) e João Kenzo (07 anos). Sou advogada, professora universitária e atualmente coordenadora do Curso de Direito da Faculdade de Educação Santa Teresinha em Imperatriz - MA.



Para mim ser mulher é uma dádiva divina!



Ao longos dos anos as mulheres vem galgando espaço na sociedade, garantindo direitos que lhes proporcionam cada vez mais realizações pessoal e profissional. Ser mulher, mãe, esposa e exercer função de liderança no trabalho exige dedicação, organização e muitas renúncias. Por isso é necessário se reinventar dia após dia e várias vezes no dia!


O que nos faz especial é exatamente o fato de, por sermos mulheres, termos a capacidade de nos reinventarmos a cada adversidade e buscarmos sempre uma inexplicável força interna para melhor solução e condução das demandas que nos são apresentadas.

Ao assumir a posição de liderança, nos é necessário uma resiliência para entendermos a relação de trabalho independente da relação conjugal, ou seja, reconhecer que no trabalho a natureza das relações são diferenciadas e que seus liderados não são seus filhos sendo, portanto, necessário orienta-los, compreendendo que somos apenas parte de seu trabalho, mas não totalmente responsáveis por seus desempenhos e (in)sucessos.


Pollyanna Kamada com o marido André Takumi e os filhos Pedro Kazuo e João Kenzo.




Outrossim, o trabalho fora de casa é apenas uma das muitas tarefas diárias, pois, ao chegar em casa, por vezes é necessário assumir as responsabilidades atinentes a educação dos filhos, o acompanhamento escolar, as tarefas do lar e o cuidado com o esposo.


Por isso tento ao máximo buscar o equilíbrio entre a dedicação ao trabalho e a família, mas nem sempre é tão simples assim. Há dias em que chego a acreditar que não vou conseguir, que estou dando mais atenção ao trabalho do que para a família, outros dias mais atenção para a família do que ao trabalho, e um misto de emoções tomam conta. té que é possível parar um pouco e observando de fora chego à conclusão que tudo está indo bem e que essas sensações são apenas sinais do coração para me sentir ainda mais motivada.


Assim sendo, seja no âmbito pessoal ou profissional não me vejo tão somente como um ser humano, mas uma mulher cheia de sonhos que não aceita nada menos que a busca constante pela realização para sentir-se plenamente feliz no trabalho e, especialmente, com a família que Deus me deu.




" Reescreva seus sonhos. Os seus. Os que moram em você. Encontre-os. Aliás, faça mais. Vá busca-los. Vá atrás daquilo que lhe trará um senso de normalidade. O bem que isso traz em todas as esferas da vida é imensurável. É sua obrigação cuidar de você, da sua sanidade."


Rafaela Carvalho no livro 60 dias de Neblina, 2018

122 visualizações

Posts recentes

Ver tudo