Buscar
  • Barbara Leite Liberato

Mãe e pai de crianças autistas: é preciso olhar para si!




O olhar para si dos pais de crianças que estão no espectro autista é muitas vezes deixado de lado devido à grande atenção voltada às crianças. Nesse contexto, faz-se importante lembrar do que vem sendo muito abordado por estudiosos do assunto: é preciso o autocuidado. Afinal, quem cuida de quem cuida das crianças autistas?

São tantas as demandas. As crianças precisam tanto de nós, querem tanto nossa atenção, precisam de nosso cuidado e orientação para com elas, que vivemos mergulhadas nesse mundo, fazendo nossas coisas de qualquer jeito, na correria, pela metade, ou muitas vezes deixando de fazê-las. O cansaço vai se acumulando, o stress e o esgotamento vem chegando que quando nos damos conta, estamos por descarregar nelas, nas crianças, por quem sempre dedicamos tudo!

E como gritar é a nova palmada, muitas vezes estamos por descarregar nelas todo o nosso cansaço. Não adianta tanto ler e estudar autorregulação para as nossas crianças se nós mesmos, os pais, não conseguirmos nos autorregular. Temos que parar de acreditar que damos conta de tudo, se nossas demandas são tantas. Se formos nos remeter ao contexto histórico dessa situação, é claro que antigamente no tempo de nossas avós e mães elas até poderiam dar conta pois o contexto era outro e as demandas não eram tantas como as de hoje.

Então, na situação atual, sem levar em conta a situação de cada família, sem levar em conta a situação financeira e várias outras coisas que poderíamos muito destacar aqui, sim, precisamos de ajuda!




Momento para leitura e renovação espiritual.

Aproveitando um tempinho com o esposo




Listei abaixo alguns exemplos de onde podemos conseguir essa ajuda tão necessária para pais de crianças no espectro autista:

·       Cuidar da parte espiritual (reserve um tempo para suas orações e seu contato com Deus todos os dias, comece com o tempo que conseguir e vá aumentando na medida do possível).
·       Rede de apoio (os avôs, madrinhas, tios(as), amigos, comadres podem ajudar um pouco ficando com as crianças em alguns momentos).
·       Descanso diário (reserve um tempo diário, pode ser 5 minutos para fazer algo que lhe relaxe como por exemplo: ouvir música, fazer exercícios, ler).
·       Descanso semanal (reserve um tempo semanal, que seja um pouco maior como 30 minutos ou 1 hora para fazer algo que te acalme como por exemplo: assistir séries, filmes, passear, caminhar, pilates, hidroginástica).
·       Momentos de relaxamento em família (defina na rotina semanal da família um período para ficarem juntos em locais calmos e tranquilos, para que possam se conectar e relaxar, percebendo que podem fazer isso juntos, por exemplo: caminhada, piquenique, viagens curtas, passeios para locais aonde todos gostem).
·       Avaliar a sobrecarga (avalie e reflita se podes reduzir, de alguma forma, a carga sobre si. Avalie se está fazendo muitas coisas, como por exemplo: trabalhos, estudos, funções. Reflita sobre a real necessidade, importância de cada uma dessas coisas na sua vida e de sua família. Contextualize com o que você e sua família nuclear querem para a vida. Decida o que é mais importante e faça escolhas!).


É preciso que entendamos a importância do olhar para si dentro da parentalidade positiva de crianças autistas. Sem esse olhar, tudo fica prejudicado deixando muitas vezes cair por terra a própria parentalidade de forma positiva.

Se precisarmos de mais ajuda, como ajuda profissional de médicos, psicólogos, psiquiatras, que não tenhamos vergonha nem medo e sim que tenhamos forças de buscar por ajuda, pois em muitos casos é preciso um avaliação médica e as terapias ou mesmo medicações que podem auxiliar muito por um período de tempo.

A parentalidade e educação positiva nos mostra que as escolhas são nossas, que é preciso definir um objetivo em que acreditamos, que sejamos assertivos e persistentes. E que o autocuidado faz parte do processo para atingir esse objetivo. Neste ano de 2021 que se encerra e estamos nos momentos de preparativos para o ano que chega, também possamos avaliar o que podemos fazer sobre nosso autocuidado.

Desejo força! Bênçãos de Deus a todos os queridos(as) leitores(as)!


Abraço fraterno da Karu.




Karuane Araújo é mãe da Mariane 7 anos autista verbal e do Miguel de Maria 2 anos, de temperamento forte, esposo do Bruno Araújo, aplicadora da disciplina positiva na educação das crianças.






Karuane Araújo

Chefe da Divisão de Cursos de Pós-Graduação - PROPGI/UEMASUL

Engenheira de alimentos - Mestre em Ciências da Saúde

Tel: 099 991081406 CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/1115832947713877

@karuanearaujo

49 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

O Sol