Buscar
  • Barbara Leite Liberato

Elimine as dificuldades de fazer a lição de casa com a Disciplina Positiva

De acordo com Rudolf Dreikurs, se a criança não está bem na escola, isso pode dar início a um cabo de guerra. O professor pode culpar os pais pelas dificuldades que ele tem com os seus alunos. Normalmente, ele lhes dá a responsabilidade de ajudar a criança com seus estudos, em particular com o dever de casa. Ao fazer isso, ele contribui para a infelicidade da família e para o aumento do antagonismo da criança com o aprender.


Quem nunca escutou na hora da tarefa de casa um “Você não manda em Mim”! “Você não sabe de nada”! “Hoje eu não tenho tarefa”! “Eu preciso mesmo fazer isso”? “Eu odeio aquela escola, aquela professora”! “Eu odeio você”!

A Lição de Casa, é sem sombra de dúvida, um dos grandes desafios dos pais em relação à escola dos filhos. Essa luta chega ao ponto de intervenções extremas, como terapia, tutoria, aulas particulares, punições em casa e na escola, atrapalhando não apenas a relação dos pais com as crianças, mas entre o casal que muitas vezes possuem pontos de vistas divergentes em como lidar com essa questão.

Por que a lição de casa tem que ser uma queda de braço ora entre os pais e as crianças, ora entre os pais e a escola?

É óbvio que os professores não querem causar nenhum dano quando enviam tarefas para que os alunos as realizem em casa. No entanto, por mais que a justificativa esteja no fato de que as lições corroboram por melhorar o desempenho do aluno na escola desenvolvendo a autonomia, o fato é que ela acaba por ensinar que nota é mais importante para pais e professores do que o aluno.

E sabe o que acontece? Isso dói na criança. Logo, eles decidem transferir essa dor para os pais e professores. Então, simplesmente não se preocupam com os deveres de casa ou se recusam a fazê-lo sem entrar em embate com os pais ou se vingarem. Sim! O cenário de guerra está armado! E para piorar, os pais decidem entrar na briga e fuzilar as crianças.


Imagine se os pais chegassem para os professores e dissessem para eles: “Você precisa me ajudar a disciplinar o meu filho, mostrando a ele que há consequências por não arrumar o quarto, ajudar nas tarefas domésticas ou cuidar do cachorro”. Isso não faz mesmo nenhum sentido, da mesma forma que não é da alçada dos pais responsabilizar os filhos pelo o que eles deixam de descumprir dentro da sala de aula. A relação é entre Professor e Aluno. E as tarefas de casa, apesar de serem realizadas dentro do ambiente familiar são de responsabilidade do professor e da escola junto com os seus alunos. Pais não são alunos.

Muitos, mas muitos pais trabalham em tempo integral ou parcial, terceirizam o acompanhamento escolar para as funcionárias de casa, parentes ou professores particulares. E as crianças, entre lições e estudos, estão abarrotados de tarefas extracurriculares que acabam tomando o pouco tempo que possuem livres. Isso é capaz de gerar um estresse que dificulta ainda mais a relação da tríade: Pais, Professores e Alunos.

É preciso se ter cuidado para que a alegria de aprender não seja perdida pelo fato das dificuldades com as lições de casa se tornarem o foco principal na vida escolar da criança. E como a Disciplina Positiva pode facilitar esse processo?


Uma escola particular no interior dos Estados Unidos tinha como objetivo focar no ingresso de seus alunos na universidade, então no início do ano letivo os pais receberam o seguinte bilhete: “Senhores Pais, a escola através desta, vem, gentilmente, pedir que permitam a seus filhos descobrirem por eles mesmos como fazer as lições de casa sozinhos. Para isso, sugerimos que mantenham uma certa distância da criança na hora da realização das tarefas e ainda sim estejam disponíveis para as dúvidas. No entanto, nossos professores possuem uma série de estratégias positivas para lidar com aqueles alunos que se recusam a fazer as tarefas de modo a incentiva-los a desenvolver essa responsabilidade. Pedimos que vocês confiem no processo e juntos iremos desenvolver junto às crianças a habilidade da autonomia”.

Após 6 meses que os pais foram encorajados pela escola a agirem dessa maneira, o estresse em torno da lição de casa dos filhos desapareceu, as crianças aprenderam a assumir total responsabilidade pelas tarefas de casa e no lugar de gritos, birras, lágrimas, ameaças e recusas, sobrou tempo para outras atividades, inclusive tempo livre para a família curtir juntos.

Para que a Lição de Casa seja um momento de leveza, aprendizagem e seja prazerosa, a escola precisa se lembrar que a responsabilidade do sucesso acadêmico da criança não pode ser colocada sobre os pais, mas sobre os alunos.

Pais podem colaborar com os professores encorajando os filhos em casa com perguntas que estimulem a curiosidade, como por exemplo, “Quais os seus objetivos”? “Como uma boa educação poderia ajudá-lo a atingir seus objetivos”? “Se a lição de casa é um requisito para uma boa educação, como você pode elaborar um plano de lição de casa para que ela o ajude a atingir seus objetivos”?

Isso porque as crianças são mais propensas a cooperar quando são envolvidas, respeitadas e conseguem ver o benefício pessoal das ações que precisam realizar, garante Jane Nelsen, Lynn Lott e Stephen Glenn no Livro de Disciplina Positiva em Sala de Aula.

Alunos, professores e pais não têm que sofrer para alcançar a excelência acadêmica. (...) Quando todas as partes praticam o respeito mútuo e a solução conjunta do problema, os alunos dão o seu melhor. Quando a responsabilidade pela lição de casa é colocada diretamente sobre a criança, a verdadeira aprendizagem pode acontecer. Esperar que as crianças sejam responsáveis, em vez de esperar que seus pais as façam prestar contas, produz jovens capazes”. (Jane Nelsen, Lynn Lott e Stephen Glenn, Disciplina Positiva em Sala de Aula, p.140).

No entanto, é importante salientar que nos anos iniciais, quando a criança está aprendendo o que é a lição de casa e como realiza-la, os pais devem acompanhar mais de perto os filhos a realizarem as tarefas em um local adequado, em um horário específico e com o acompanhamento de um adulto porque ele está em processo de aprendizagem. Aos poucos ele precisa ficar mais autônomo e independente do adulto.


Dica de Leitura para Pais e Professores: Disciplina Positiva em Sala de Aula - Jane Nelsen, Lynn Lott e H. Stephen Glenn


Sobre a autora:

Bárbara Leite Liberato é casada com Fernando Liberato, mãe de duas crianças extraordinárias João Paulo, 6 anos e Gabriel, 3 anos. A vida toda quis ser mãe e formar uma família, casou com o grande amor da adolescência e juntos educam os filhos dentro da Parentalidade Positiva. Tem como missão de vida capacitar pais e mães para utilizarem as ferramentas da Disicplina Positiva e da Parentalidade Positiva junto aos filhos. Ler e escrever é uma paixão na vida.




Bárbara Leite Liberato

Educadora Parental em Disciplina Positiva

Membro da PDA / Brasil

Jornalista e Advogada

Certificada em Parentalidade Positiva pela Escola de Parentalidade e Educação Positivas de Portugal

Especializando em Neurociência e Comportamento - PUC/RS

Idealizadora e Editora do blog cheirodemae.com.br

(99) 981326509 - barbaraleiteliberato@hotmail.com

@barbaraleiteliberato


35 visualizações

Posts recentes

Ver tudo