Buscar
  • Barbara Leite Liberato

Deixa seu irmão em paz!

Amor, aceitação e respeito são os ingredientes para que a relação entre irmãos possa sobreviver à guerra que eles travam ao longo da infância e parte da adolescência para crescerem em paz!



" Deixa o seu irmão em paz"! Talvez essa seja a frase que nós, pais, mais falamos com nossos filhos depois que eles se tornam irmãos. Ao longo da infância e uma parte da adolescência, falar para as crianças "Para de chatear seu irmão ou irmã", é quase que um hino a ser declamado dia após dia.

Não é segredo para ninguém que a relação entre irmãos é um tanto conflituosa. Afinal, existe muita coisa em jogo - mas encontrar o seu lugar ao sol, saber a sua importância, ser visto e amado é de longe o centro de onde tudo emana.

Desde que Caim matou Abel que os irmãos andam em pé de guerra! E se você acha que não implicar com o irmão mais novo ou não reagir às provocações do mais velho é a cereja do bolo, saiba que não é tão simples assim. Partilhar pais, brinquedos, quarto, roupas, diversão, tristezas, animais, bens, viagens, amigos, não é tarefa fácil para ninguém, nem mesmo se você e seu irmão já são adultos.





Como pais não temos nenhuma garantia de que nossos filhos se darão bem ao longo da vida. Se serão amigos? Quem sabe? Mas existem estratégias para que possamos ajuda-los a chegar lá. E a primeira delas é fazer com que cada um de nossos filhos possa dormir com a certeza de que de que são amados e queridos por nós. Você não precisa dizer, mas ele precisa sentir que é o preferido, todo santo dia.

Sim! Eu sei! Não preferimos um ao outro. Temos afinidades diferentes com cada um. Mas eles precisam sentir que pra você ele é importante. Assim exatamente do jeito que é. Então respeite a natureza dele e dê a parte de você que ele mais precisa para viver!

Para um você dá a paciência, para o outro a coragem, para o terceiro a empatia. Um vai te pedir gentileza, o outro vai exigir a sua firmeza. Todos eles vão querer a sua preferência. Dê!

O irmão sempre será o alvo do outro irmão. Não gaste a sua energia querendo que a relação deles seja isenta de conflitos. Isso não existe. E se existe, cuidado, alguma coisa não fecha nessa relação. A paz, não necessariamente, é a ausência de conflito.

A sua atitude de pai e mãe fará toda diferença na resolução das brigas para que elas sirvam de aprendizado e aproximação ou se serão motivo de distanciamento entre eles.

Então mãos à obra:

  1. Reforce e exalte a singularidade de cada um dos seus filhos;

  2. Não se meta nas brigas deles a menos que tenha agressão física ou coloque a segurança física e emocional em risco;

  3. Escute, respeite e opine o mínimo possível;

  4. Não defenda nenhum deles, faça-os pensar sobre as atitudes e as falas deles com boas perguntas que possam direciona-los a uma resolução harmoniosa;


Se é verdade que eles se pegam, discutem, lutam, também é verdade que eles se confortam, se entendem, se cuidam. Como pais precisamos focar naquilo que os unem, trazer o respeito, a afeto e boas lembranças.

Ter um irmão é como se olhar no espelho, ele nos relembra a nossa origem e nos ajuda a descobrir aquilo que nos torna únicos para seguir em frente. Ter alguém para partilhar a vida a torna mais emocionante de ser vivida. Então olhe para o seu irmão e repare: você não é ele. Mas vocês não são tão diferentes assim. Algo os distancia ao mesmo tempo que os une. E não, não são apenas os pais. Está no DNA, mas está também nas escolhas que vocês decidem tomar.

Nessa relação em que o amor e o ódio andam de mãos dadas, o respeito será o condutor de um passado com boas lembranças, de um presente cheio de afeto e de um futuro menos solitário.






Sobre a autora:

Bárbara Leite Liberato é casada com Fernando Liberato, mãe de duas crianças extraordinárias João Paulo, 7 anos e Gabriel, 4 anos. A vida toda quis ser mãe e formar uma família, casou com o grande amor da adolescência e juntos educam os filhos dentro da Parentalidade Positiva. Tem como missão de vida capacitar pais e mães para utilizarem as ferramentas da Disicplina Positiva e da Parentalidade Positiva junto aos filhos. Ler e escrever é uma paixão na vida.





Bárbara Leite Liberato

Educadora Parental em Disciplina Positiva

Membro da PDA / Brasil

Jornalista e Advogada

Certificada em Parentalidade Positiva pela Escola de Parentalidade e Educação Positivas de Portugal

Especializando em Neurociência e Comportamento - PUC/RS

Idealizadora e Editora do blog cheirodemae.com.br

(99) 981326509 - barbaraleiteliberato@hotmail.com

@barbaraleiteliberato






5 visualizações

Posts recentes

Ver tudo