Buscar
  • Barbara Leite Liberato

Conflito entre irmão e irmã autista

Maternidade, autismo e disciplina positiva: como gerir conflitos entre irmãos e desemvolver habilidades de cooperação, negociação, troca, empatia e escuta ativa.

Mariane (6 anos) e Miguel (2 anos)


Cada filho é de um jeito. Sim! Ouvimos muito essa frase, não é mesmo? Mas a gente não sabia que ia ser assim, né? A gente não sabia que iam ser tão diferentes, que iam querer coisas totalmente opostas no mesmo instante, que iam discutir bravamente por conta do desenho que vão assistir. Aqui é um de 2 anos e a outra, autista, de 6 anos. A gente não sabia que uma iria gostar de tudo arrumado nos mínimos detalhes - que chega dar angústia. E o outro iria gostar de bagunçar, como ele mesmo diz. A gente não sabia que depois de tanto trabalhar com ela a importância do abraço, do carinho com o irmão e, quando conseguisse enfim entender e aplicar, ele simplesmente não iria querer - só porque ela queria! Pois é, a gente não sabia até acontecer. Até estar mergulhada nesse jogo com um turbilhão de emoções que também nomeamos de filhos.

E agora? Agora é preciso estudar para ser pai e mãe! Uma de várias maravilhosas da Disciplina Positiva é que podemos iniciar a qualquer idade de nossos filhos. Jane Nelsen identificou algumas percepções e habilidades significativas necessárias ao desenvolvimento de pessoas capazes. Uma delas é uma forte habilidade interpessoal. Ou seja, habilidade de trabalhar com os outros e desenvolver amizades por meio de comunicação, cooperação, negociação, troca, empatia e escuta ativa.

No caso de crianças com autismo esse desenvolver amizades através da comunicação se dá de forma diferenciada, ou nem acontece. É importante aproveitar os conflitos entre irmãos para estimular a criança a desenvolver um raciocínio focado na solução, buscando alternativas para lidar com as situações.

Nós mesmos como pais, podemos agir desta forma com nossos filhos, ouvindo sempre o que eles têm a nos dizer. Para crianças com deficiências essa escuta deve ser mais cautelosa, pois a comunicação é diferenciada. Então, devemos demonstrar interesse sincero em ajudá-la e cooperar para solucionar o problema. E ainda fazer isso tudo de forma serena e firme!


Mariane (6 anos) e Miguel (2 anos)


Confesso a vocês que nos momentos de caos, em que um filho esta gritando e querendo atenção e a outra está no meio desse processo descrito acima, fica difícil manter a calma. Difícil, mas não impossível! É preciso treinar e treinar. E quando erramos, respiramos fundo e começamos novamente. Primeiro por nós, depois pelos nossos filhos e das gerações futuras. E assim, depois de um tempo, a disciplina positiva vai colocando tudo nos eixos. Os conflitos entre irmãos não deixam de existir, mas todos sabem administrar melhor os desafios!


Um abraço carinhoso e que estejamos firmes na Disciplina Positiva!



Sobre Karuane Araújo

Karuane Araújo é mãe da Mariane 6 anos autista verbal e do Miguel de Maria 2 anos, de temperamento forte, esposo do Bruno Araújo, aplicadora da disciplina positiva na educação das crianças.

Karuane Araújo

Chefe da Divisão de Cursos de Pós-Graduação - PROPGI/UEMASUL

Engenheira de alimentos - Mestre em Ciências da Saúde

Tel: 099 991081406 CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/1115832947713877

@karuanearaujo



11 visualizações

Posts recentes

Ver tudo