Buscar
  • Barbara Leite Liberato

Parentalidade Positiva: uma filosofia de vida

Atualizado: 1 de Mai de 2020

O primeiro passo para se educar filhos felizes é primeiro ser feliz enquanto pessoas, pais e também casal. A parentalidade positiva promove uma viagem para dentro de nós mesmos, nesse percurso colhemos autoconhecimento, autocontrole e inteligência emocional

Fotografia Nadjara Nunes


A Parentalidade Positiva é uma filosofia de vida que promove a relação de pais e filhos com base no respeito mútuo, com firmeza, empatia e generosidade. Ela se distancia da educação tradicional porque abre mão de qualquer tipo de humilhação e violência, seja ela verbal, física ou emocional. Nem por isso ela se torna uma relação de igual para igual, é importante que a autoridade parental se faça presente sem o uso de castigos, gritos, palmadas e nem tão pouco recompensas, subornos e permissividade.

Por ser uma filosofia de vida, a Parentalidade Positiva não está restrita à relação partental. Pelo contrário, ela inicia-se na educação das crianças, mas precisa ser levada para o dia-a-dia em qualquer relação que estabelecemos com um outro alguém. É uma escolha de vida, capaz de trazer equilíbrio sem limites para a transformação pessoal de quem opta por vivencia-la. Essa é a chave para iluminar o nosso educar de forma positiva.

Educar uma criança é uma tarefa árdua, o que nós, os pais, fazemos e como fazemos tem um impacto muito grande na forma como vivemos em família, como indivíduo e também influencia nossos filhos na maneira que vivem a vida deles.

As crianças passam a mudar? Deixar de fazer birras? Ter comportamentos exemplares? Parar de responder mal? Acredito não haver varinhas mágicas, frases prontas e nem mesmo um passo a passo a ser seguido para fazer as crianças obedecerem e serem bem comportadas. O que existe é mesmo uma transformação pessoal baseado em escolhas feitas de forma consciente pelos pais. E a partir do momento que viramos a chave dentro de nós há mesmo magia nas relações que criamos com os nossos filhos e com todas as pessoas ao nosso redor. Simples assim? Não. Afinal, a transformação traz com ela dor, dificuldades e também uma luz no final do túnel.

Educar uma criança é uma tarefa árdua, o que nós os pais fazemos e como fazemos tem um impacto muito grande na forma como vivemos em família, como indivíduo e também influencia nossos filhos na maneira em que vivem a vida deles. Quando uma criança é educada dentro dos princípios da Parentalidade Positiva ela percebe e integra os limites que existe na própria vida. Ela sabe pensar, escutar a si mesma e ao outro, sabe retardar recompensas, sabe fazer boas escolhas, desenvolve inteligência emocional e auto-estima equilibrada. O maior fruto que podemos colher da Parentalidade Positiva é o fato das nossas vidas se encherem de significado junto aos nossos filhos, principalmente.

O modelo de Parentalidade Positiva a qual este blog faz referência é o da Escola de Parentalidade e Educação Positivas em Portugal, criada pela Magda Gomes Dias, autora de três livros fantásticos e imperdíveis: “Crianças Felizes”, “Berra-me Baixo” e “Para de chatear a tua irmã e Deixa o teu irmão em paz”. Eu tive o prazer de conhecê-la pessoalmente e fazer junto com a ela a Certificação em Parentalidade e Educação Positivas.

Foi então que eu pude entender que quando se trata de educar, disciplinar e conduzir filhos pela vida, não existe receita pronta, mas uma longa jornada a ser percorrida. A cada dia uma nova oportunidade de nos transformamos na nossa melhor versão. Sim, lamento informar que a mudança não será da sua criança, mas de você mesma. Vale a pena trilhar esse caminho.

Este modelo trabalha com cinco pilares. A saber: respeito-mútuo (aceitação da natureza da criança); Vínculo (permite trabalhar a autoridade e a obediência mediante uma conexão); Parentalidade Pró-ativa (conhecer os estágios de desenvolvimento da criança para antecipar comportamentos); Liderança empática (saber de forma clara qual a missão de pais); Educar sem punir (orientar, corrigir e encaminhar sem fazer uso de violência). Três ferramentas são essenciais nesse processo: a inteligência emocional, saber colocar boas questões e a comunicação positiva.

A transformação não nasce no caminho, mas no caminhar. A transformação traz com ela medo, angústia e, por vezes, solidão. Carrega com ela coragem para sair da superfície e chegar ao topo. Traz uma exigência: nutrir as raízes e edificar o interior – aquele lugar que só você tem acesso. Feito isso, a luz que brota no coração é capaz de incendiar a alma. Ser mãe e ser pai é uma das poucas coisas da vida que a gente só aprende sendo. E esta é a grande conclusão dessa jornada: poder descobrir o extraordinário que existe dentro de cada um dos meus filhos, do meu marido e de mim mesma. E é isso que desejo a cada mãe e pai que passa por aqui – só há magia na Parentalidade quando somos capazes de enxergar o quão extraordinária é a missão de se educar filhos felizes para a vida.


Sobre a autora:


Bárbara Leite Liberato é casada com Fernando Liberato, mãe de duas crianças extraordinárias João Paulo, 5 anos e Gabriel, 2 anos. A vida toda quis ser mãe e formar uma família, casou com o grande amor da adolescência e juntos educam os filhos dentro da Parentalidade Positiva. Tem como missão de vida capacitar pais e mães para utilizarem as ferramentas da Disicplina Positiva e da Parentalidade Positiva junto aos filhos. Ler e escrever é uma paixão na vida.

Bárbara Leite Liberato


Educadora Parental em Disciplina Positiva

Membro da PDA / Brasil

Jornalista e Advogada

Especilista em Parentalidade Positiva pela Escola de Parentalidade e Educação Positivas de Portugal

Especializando em Neurociência e Comportamento - PUC/RS

Idealizadora e Editora do blog cheirodemae.com.br

(99) 981326509 - barbaraleiteliberato@hotmail.com

@barbaraleiteliberato

13 visualizações

Posts recentes

Ver tudo