Buscar
  • Barbara Leite Liberato

Abrindo a caixa

Filhos nos fazem sair da nossa zona de conforto e nos convidam a pensar fora da caixa! E você? Como cria seus filhos? Dentro ou fora da Caixa?

Sabe qual a mais nova novidade aqui de casa? Pensar fora da caixa!

Vocês devem estar pensando: "que bom". Pois é! Os jovens daqui estão sempre a pensar em algo diferente. O que para eles parece normal, mas para mim é um pouco assustador.

O garoto do meio, a tempos pensa em fazer uma viagem de 700km de bicicleta pelo sul do país, juntou o dinheiro e organizou a rota. Só esqueceu de nos avisar de seus planos futuros. Quando ele chegou com essa conversa, levamos um susto:

- Que loucura viajar sozinho, não é normal, de bicicleta ainda!

Em momentos diferentes da conversa, o pai e eu fizemos a mesma pergunta:

- Onde foi que eu errei?

Mas o menino é duro, não se deixou intimidar.

- Vocês devem ficar felizes porque sei o que quero, me organizo para conseguir e o mais importante: quero que vocês participem e me apõem. Penso diferente, quero coisas diferentes, gosto de estar na natureza, gosto de viajar com outra perspectiva, isso não é errado. Assim vocês me ofendem.

Aqui não se trata de erros e acertos. Nos faltou maturidade e empatia, fomos egoístas. Na ânsia de protegê-lo, anulamos sua capacidade de autocuidado, de planejamento. E desconsideramos algo positivo: perseguir os sonhos com consciência, não se deixar boicotar por conta do medo, ser positivo e perseverante.

No meio da conversa, enquanto os argumentos eram rebatidos, o mais novo fala:

-Gente, deixa o menino! Qual o problema? Isso é massa demais, se eu não estivesse em aula iria também.

Haja coração!

Artur Vilela, 20 anos - Na Tirolesa


Aceitar que os filhos cresceram, que pensam diferente, que vão atrás de coisas que nem passam pela nossa cabeça é difícil, mais ao mesmo tempo é muito bom, não os criamos para viver na caixa.

Quando pequenos, sempre acampávamos, íamos para o rio com frequência, curtíamos cachoeiras e caminhadas no mato, durante anos competiram à cavalo. Embora as férias fossem sempre na fazenda, procurávamos algo ligado à natureza. Qual a surpresa? Muito do que eles gostam está ligado ao que nós vivenciamos juntos! Agora já estão grandes para fazer suas escolhas, e eu ainda não me acostumei a isso, simples assim!

E as novidades não param por aí.

Raul Vilela, 22 anos - na fazenda da família


O mais novo já está programando sua viagem de férias. Vai à cavalo para a fazenda de um amigo, viagem de uma semana.

O mais velho está se preparando para um mochilão na América do Sul, ano que vem, falando até em pegar carona.

Porque a dificuldade de deixá-los tirar o pé para fora? Nós, os pais, tememos por danos irreversíveis, acreditamos que o controle pode blindá-los de infelicidades. E o pior de tudo: nos preocupamos com que os outros vão pensar. Eu mesma pensei: “Estes meninos estão loucos.” Meu medo por eles não pode congelar ou refrear suas ações, onde está minha fé no que ensinei? Eu só desejo de vê-los felizes.

Arthur Vilela, 20 - pedalando po aí


Para Leonardo Da Vinci: “Uma vez que você voa, passará o resto da vida na terra com os olhos voltados para o céu. Pois um dia lá esteve e para lá sempre voltará.” É assim que quero ver meus filhos, indo e vindo, voando felizes, sonhando, realizando, sendo honestos com suas escolhas, cuidando de si e dos outros.

“Eu não tenho que procurar momentos extraordinários para encontrar a felicidade, ela está na minha frente se eu tiver prestando atenção e praticando a gratidão.” Brené Brown

Sou grata pelos filhos aventureiros que tenho, pelo amor e respeito que têm por nós, pela simplicidade com que vivem, por serem felizes no ordinário da vida. Eles me ensinam muito sobre coragem, simplicidade, respeito, felicidade e amor.

Só posso desejar que a caixa esteja sempre aberta. E que não seja nós, os pais, a fecharem!



Dica de Leitura:

"A arte da Imperfeição" - Brené Brown






Sobre Maria Marquez

Sou uma menina que sempre quis casar e ser mãe, hoje uma mulher realizada, casei com meu amor de adolescência, sou mãe de três garotos (Raul 23; Artur 20; Davi 18), pedagoga, secretaria do agronegócio, voltando às raízes, morando na fazenda, me redescobrindo e experimentando um universo de novidades.




Maria Marquez Gouveia Vilela

Pedagoga

Secretária do agronegócio da família

(99) 991318999 - mariamarquezgv@gmail.com

@mariamarquez9128

144 visualizações

Posts recentes

Ver tudo