Buscar
  • Barbara Leite Liberato

Abraço

Qual o melhor lugar no mundo, senão dentro de um abraço? E quando esse abraço é de mãe, ou melhor ainda: é de um filho! Que delícia! Poder reencontrar-se dentro de um abraço da pessoa que se ama. Esse processo ressignifica, abastece, cura e promove.


Luciano e Maria com os filhos Arthur e Davi na Serra da Canastra - MG



Qual o melhor lugar do mundo?

Nesta pergunta cabe um infinito de respostas. Cada um tem seu melhor lugar no mundo, mas o lugar em que o nosso mundo se estabiliza e encontra o equilíbrio é dentro de um abraço.

Abraço de embalar

Abraço de saudade

Abraço de chegada

Abraço de partida

Abraço de reconciliação

Abraço de amor, de pai, de mãe, de irmão, de amigo, de vô, de vó, da professora, do vizinho, abraço...

Abraçar é lutar junto, sonhar, validar o sentimento do outro, falar muito sem dizer nada, dar apoio!

Quando este abraço transcende o físico e chega à alma, nossa! É potente, transformador!

Como fazer deste abraço o melhor lugar do mundo para os nossos filhos?


Cada família tem sua história, muitas expectativas e sonhos. Natural, nós pais, projetarmos o futuro dos nossos filhos. Quem nunca fez isso? Ao longo da caminhada fica claro que é preciso romper com nossas expectativas e padrões, deixar o perfeito de lado e priorizar o ser feliz, com firmeza sem abrir mão da gentileza, sendo amigo sem deixar de ser pais, conversar, mostrar o quanto são valorosos para nós.

Em muitas situações há dúvidas e precisamos estar próximos para seguir o caminho com segurança. “Abrace seu trabalho de ensinar habilidades de vida, sabendo que você está ajudando seu filho a desenvolver seu caráter. O tempo que você gasta agora vai gerar grandes dividendos para o futuro”, Jane Nelsen e Lynn Lott

Por aqui muitas vezes sou eu a ser abraçada por meus filhos, já colecionamos algumas histórias, umas boas outras nem tanto, umas engraçadas outras de suspense, mas sempre com um final de aprendizagem, de troca.


Serra da Canastra - MG


Olha só como é possível aprender com os filhos - Aos 18 anos, meu filho pediu para ir de Lavras – MG à Ituiutaba-MG de bicicleta passando pela Serra da Canastra, sozinho! Qual foi minha resposta? Não, claro que não! É perigoso você ir só, se acontecer alguma coisa não teremos como saber. Não, depois planejamos um momento que dê certo para todos e vamos juntos. Ok?

Acham que o garoto desistiu? Não!

Quando entrou em contato de novo ele tinha tudo planejado e organizado, rota no Google Maps, como chegaria à cidade mais próxima, quantos dias levaria na subida e travessia, locais de camping, todo material necessário para a bicicleta, aprendeu a desmontar e montar o pneu da bike, kits de primeiro socorros e comidas.

Ele nos surpreendeu. Sua vontade de realizar o projeto era grande demais para ele se perder na raiva. Pensou com equilíbrio, trouxe respostas para tudo aquilo que nos incomodava, negociou, mostrou que estava preparado para viver sua aventura com responsabilidade, nos brindou com habilidades que ensinamos, que não sabíamos que ele possuía.



Sim! Chegamos a um consenso, trecho menor priorizando a serra. Vale lembrar que o pai teve um papel muito importante, foi mediador, trouxe equilíbrio e serenidade, me deu confiança para apoiar o projeto. Alguns vão pensar, não é uma criança, porque não deixar, quando se trata da segurança não tem limite de idade. Tudo acertado, lá se vai o menino ou melhor o jovem.

Tenho tanto orgulho da forma como meu filho agiu, foi respeitoso conosco e fiel com sua vontade. Como diz Cora Coralina, “ Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina”. Muitas lições aprendidas, é preciso acreditar, confiar, deixar viver, crescer.

No final da travessia estávamos lá para recebê-lo, os olhos diziam tudo e o abraço confirmou: valeu a pena!

Só me resta dizer: se jogue, abrace, envolva, embale, aprenda, seja o melhor lugar do mundo para os que você ama.






Dica de Leitura - Disciplina Positiva para adolescentes – Jane Nelsen e Lynn Lott



Sobre Maria Marquez

Sou uma menina que sempre quis casar e ser mãe, hoje uma mulher realizada, casei com meu amor de adolescência, sou mãe de três garotos (Raul 23; Artur 20; Davi 18), pedagoga, secretaria do agronegócio, voltando às raízes, morando na fazenda, me redescobrindo e experimentando um universo de novidades.




Maria Marquez Gouveia Vilela

Pedagoga

Secretária do agronegócio da família

(99) 991318999 - mariamarquezgv@gmail.com

@mariamarquez9128

50 visualizações

Posts recentes

Ver tudo